Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas Notícias > Comunicação > CNEN obtém Patente por pesquisa em Membranas Adsortivas Compostas
Início do conteúdo da página

CNEN obtém Patente por pesquisa em Membranas Adsortivas Compostas

Mais um passo para o filtro compacto e portátil de dessalinização e purificação de água contaminada

No dia 26 de janeiro de 2017, o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) concedeu à Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) a Carta Patente no PI 0700023-5, que atesta os requisitos de patenteabilidade (Atividade Inventiva, Novidade e Aplicação Industrial) na pesquisa em “Membranas Adsortivas Compostas”, desenvolvida pelo pesquisador Dr. Armindo Santos e seu grupo de pesquisa, do Serviço de Nanotecnologia e Materiais Nucleares (SENAN), do Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN).

Membranas Adsorventes CDTN Carta PatenteEm 24 de maio do ano passado, já havia sido concedida a Carta Patente no PI 0700021-9 à CNEN, também na pesquisa em “Membranas Adsortivas Compostas”, do mesmo grupo pesquisador.

As duas patentes obtidas resultam de quatro Depósitos de Pedido de Patente realizados no INPI, em 10 de janeiro de 2007, após o Dr. Armindo Santos e seu grupo de pesquisa consolidarem uma pesquisa em “Membranas Adsortivas Compostas” na forma de uma tese de doutorado sob sua orientação, defendida na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Os técnicos do INPI analisaram os pedidos das patentes e, em 15 de abril de 2016, solicitaram defesa técnica à CNEN. A defesa coube ao Dr. Armindo Santos, por meio de quatro documentos:

  1. Manifestação a respeito do Relatório de Exame Técnico PI 0700021-9 “Método de fabricação de esferas adsorventes de alumina ativada via processo sol-gel apropriadas para a adsorção e captura de metais pesados presentes em baixas concentrações em grandes volumes de efluentes líquidos industriais”.
  2. Manifestação a respeito do Relatório de Exame Técnico PI 0700023-5 “Método de fabricação de esferas adsorventes de biomassa da alga marinha Sargassum sp. via processo sol-gel apropriadas para a adsorção e captura de metais pesados presentes em baixas concentrações em grandes volumes de efluentes líquidos industriais”.
  3. Manifestação a respeito do Relatório de Exame Técnico PI 0700024-3 “Método de fabricação de esferas adsorventes de zeólita tipo 4A-Sargassum sp. via processo sol-gel apropriadas para a adsorção e captura de metais pesados presentes em baixas concentrações em grandes volumes de efluentes líquidos industriais”.
  4. Manifestação a respeito do Relatório de Exame Técnico PI 0700030-8 “Método de fabricação de esferas adsorventes de zeólita tipo 4A via processo sol-gel apropriadas para a adsorção e captura de metais pesados presentes em baixas concentrações em grandes volumes de efluentes líquidos industriais”.

Agua contaminada CDTN Carta de PatenteImportante dizer que a base científica e tecnológica desenvolvida nessas patentes evoluiu para a Pesquisa e Desenvolvimento de Nanoadsorventes e de Dosímetros do Estado Sólido.

Por isto, ainda em 30 de maio de 2011, em decorrência de parceria com o Dr. Hudson Rubio Ferreira, da Seção de Dosimetria das Radiações do CDTN, novo Depósito de Pedido de Patente foi realizado, agora contemplando a área de dosimetria das radiações ionizantes. Trata-se do Pedido de Patente PI 1102350-3 da pesquisa “Método sol-gel de produção de pó de alumina alfa dopado com carbono, metais e metalóide e seu uso na fabricação de pastilhas apropriadas para aplicações em dosímetros TLD e OSLD”. Cabe ressaltar, aqui, que os dosímetros produzidos já estão em uso na monitoração ambiental do CDTN.

Agua limpa CDTN Carta de Patente“Podemos dizer que a Pesquisa e Desenvolvimento em Nanoadsorventes já está bem avançada”, afirma Armindo Santos. Segundo o pesquisador, ela busca desenvolver um “filtro compacto e portátil de dessalinização e purificação de meios aquosos contaminados com orgânicos e metais pesados”. A tese de doutorado “Desenvolvimento de nanorreatores hierarquicamente nanoestruturados para dessalinização e eliminação de orgânicos de meios aquosos naturais e/ou radioativos”, em andamento na Pós-Graduação do CDTN, já demonstra a viabilidade científica e tecnológica do uso de “Membranas Adsortivas Compostas em colunas de leito fixo”. “O filtro compacto resultante poderá, então, ser usado no tratamento de grandes volumes de meios aquosos contaminados”, salienta Santos.

O alcance científico e tecnológico destas novas atividades inventivas tem sido comprovado por meio de publicações científicas internacionais realizadas e de financiamento obtido de órgãos de fomento nacionais. “A possibilidade de fornecer água potável sem a presença de contaminantes cancerígenos à população de regiões carentes impacta positivamente a saúde da população e traz ganhos sociais e econômicos”, conclui Santos.

registrado em: ,,
Fim do conteúdo da página